fbpx

Entidades do setor divulgam Carta Final no 3º Latam Retail Show

Redação Latam Retail Show

Redação Latam Retail Show

Fique por dentro das notícias que saiu na midia

No encerramento do 3o Latam Retail Show, realizado no Expo Center Norte em São Paulo no período  de 29 a 31 de Agosto, foi divulgada uma Carta que resume um diagnóstico do quadro atual no setor de varejo e consumo e o compromisso de atuação orquestrada das principais entidades nacionais desses setores.

O evento deste ano reuniu pouco mais de 13.000 visitantes em suas atividades que incluíram o Plenário, que teve a presença de mais de 1.500 congressistas, a Exposição em 12.000 m² de área com foco em Tecnologia, Instalações, Equipamentos e Serviços para os setores de Varejo, Franchising, Food Service, Shopping Centers e E-commerce.

Outros eventos paralelos apresentaram discussões, debates e exposição nas áreas de Expansão de Shoppings Centers e Centros Comerciais, Marcas Próprias, Tecnologia RFID e mais Design de Varejo, complementado por um setor totalmente dedicado à startups com projetos e propostas nessas áreas.

Outro ponto de convergência foi a Arena PagSeguro Mercado & Consumo, com palestras gratuitas para todos os visitantes da Exposição.

Em situação inédita, as mais importantes entidades nacionais que atuam nos setores de comércio, varejo e consumo, assinaram em conjunto a Carta do 3o Latam Retail Show onde se comprometem a atuarem em conjunto em temas relevantes para esse setores.

Carta do 3º Latam Retail Show

O Brasil vive o início de um novo Ciclo Econômico, Político e Social, egresso da maior crise econômica e moral da História recente do país, que criou uma população de 14 milhões de desempregados formais, encerrou negócios, empresas e fechou mais de 200 mil lojas.

As perdas envolveram também a autoestima e a confiança no futuro, que sempre foram fatores relevantes em nossa formação cultural.

Para o Novo Ciclo que se inicia, é consenso entre os líderes representativos do varejo e do comércio, que o foco deste Brasil Novo deva estar na busca irreversível de maior competitividade no cenário global e, no âmbito local, um maior equilíbrio social. Uma busca incessante de caminhos para simplificar o empreender e melhorar a qualidade de vida do brasileiro.

A busca desses objetivos deverá acontecer num ambiente redesenhado em sua estrutura pela relevância de temas como a economia digital, o papel crítico do crédito no cenário do consumo, a maior concentração de negócios, o aumento da competitividade em todos os setores, o dos omniconsumidores-cidadãos e a premente necessidade de criação de ecossistemas competitivos envolvendo as cadeias de valor de produtos e serviços.

Um Brasil Novo deverá surgir do redesenho do papel e das atribuições do Estado que deve concentrar sua atuação nas áreas críticas da Saúde, Educação e Segurança, reconhecidamente carentes.

É preciso entender os enormes desafios a serem enfrentados nos próximos anos sem nos confortarmos com os sinais iniciais de recuperação econômica.

É crítico que as inevitáveis e inadiáveis reformas previdenciária, política e tributária, possam evoluir com a seriedade, ambição e celeridade que o momento requer. E isso é um dos temas que nos une neste momento.

A combinação da transitoriedade institucional do atual governo, com a dramática crise recente que gerou desemprego e disseminou insatisfação de toda a sociedade, complementados com a real percepção dos descaminhos no trato da coisa pública, devem precipitar o mais abrangente e ousado programa de reformas já vivido pelo Brasil.

E o possível não é o necessário. Preocupa muito a opção primária pelo caminho fácil do aumento de impostos como elemento de compensação.

Em verdade, o Estado atual não cabe na nossa realidade. Precisa ser repensado e redimensionado.

Não devemos contemporizar com a ideia de que o ótimo é inimigo do bom, pois essa condescendência, em particular do setor empresarial, foi desastrosa para o País no passado recente. E não mais pode se repetir.

E isso é um chamamento a outro posicionamento do setor empresarial.

Em particular dos setores que diariamente ouvem a manifestação e o pulsar dos empoderados omniconsumidores-cidadãos que deveria precipitar uma outra atitude, transformando o empresário do passado, apenas focado na sua realidade, no empresário-cidadão, mais comprometido com o país, a sociedade e o futuro.

A sociedade moderna, competitiva e irreversivelmente mais global, pressupõe setores e líderes empresariais com a visão ampliada e dedicados a atuar para além das fronteiras de seus setores econômicos de atividade, ocupando espaços cada vez mais relevantes na discussão e na ação para a transformação que o país precisa viver.

Essa é a consciência coletiva e a reflexão que nascem do 3o Latam Retail Show, subscritas pelas entidades e os líderes empresariais dos setores de Varejo e Consumo e com o compromisso de se posicionarem e, principalmente, agirem de forma integrada, coesa e ambiciosa pela inadiável transformação econômica, social, política e, principalmente, ética, que o Brasil precisa.

 

São Paulo, 31 de Agosto de 2017

 

ABAD – Associação Brasileira de Atacadistas-Distribuidores – Presidente Emerson Destro

ABAASAssociação Brasileira dos Atacadistas de Autosserviço – Presidente Ricardo Roldão

ABF – Associação Brasileira de Franchising – Presidente Altino Cristofoletti

ABIESV – Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos e Serviços para o Varejo – Presidente Akira Nagata

ABRAFARMA – Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias – Presidente Sérgio Mena Barreto

ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados – Presidente João Sanzovo Neto

ABRASCE – Associação Brasileira de Shopping Centers – Presidente Glauco Humai

ABRASEL – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – Presidente Paulo Solmucci

ABVTEX – Associação Brasileira do Varejo Textil – Presidente Edmundo Lima representado por Paulo Pompilio

ANAMACO – Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção – Presidente Claudio Conz

CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas – Presidente Francisco Honório Pinheiro Alves

IDV – Instituto para o Desenvolvimento do Varejo – Presidente Antônio Carlos Pipponzi representado por Sergio Zimmermann

IFB – Instituto Food Service Brasil – Presidente Alexandre Guerra